Main menu

Campanha Novembro Azul

Olá fãs da Força Aérea Brasileira!!

Hoje o assunto do nosso blog é de interesse principalmente dos homens, mas nada impede que as mulheres também fiquem por dentro do tema: câncer de próstata! No mês passado, o rosa pintou as ruas do Brasil inteiro durante a campanha de conscientização sobre o câncer de mama. Agora, no Novembro Azul, chegou a hora de embarcar em mais uma missão.

 

Com 87% do efetivo formado pelo sexo masculino, a Força Aérea Brasileira (FAB) veste agora a camisa do Novembro Azul. A campanha tem o objetivo de alertar sobre o câncer de próstata, doença com um dos maiores índices de mortalidade entre os homens no Brasil. Só no ano passado, a estimativa é de que 69 mil novos casos tenham sido diagnosticados, ou seja, a descoberta de um caso a cada 7,6 minutos, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, idealizadora da campanha.

Os especialistas alertam que as chances de cura aumentam se a doença for diagnosticada a tempo. O urologista do Hospital da Força Aérea de Brasília, Capitão Jorge Siqueira, ressalta que, na maioria dos casos, a doença não apresenta sintomas.novembroazul2E é aí que mora o perigo. Por isso, é necessário que os pacientes realizem exames preventivos. O homem deve começar a se preocupar aos 45 anos, mas para quem tem histórico da doença na família, os cuidados começam mais cedo, aos 40.

A identificação do câncer é feita, principalmente, pelo toque retal e pelo PSA (exame de sangue), mas, segundo o Capitão Siqueira, um exame não exclui o outro. “O PSA, em alguns casos, não acusa indícios da doença, mesmo quando o paciente já está com câncer”. O médico conta que ainda há preconceito em relação ao toque. “Hoje já diminuiu, mas às vezes o paciente deixa de ir ao urologista por medo do exame. O incômodo é pouco diante da qualidade de vida que o diagnóstico precoce pode trazer”, afirma ele.

Uma vez descoberto o câncer, o tratamento varia de acordo com a idade do paciente, as condições de saúde e o estágio da doença. De acordo com a oncologista do HFAB, Tenente Martha Tatiane Mesquita dos Santos, entre as alternativas estão manipulações hormonais, radioterapia, quimioterapia, retirada da próstata ou do testículo. “A medicina vem evoluindo para oferecer o melhor ao paciente, afinal, o câncer de próstata tem cura e, se comparado a outros cânceres, é mais fácil tratar e controlar”, finaliza.

Agora, com todas essas informações, não tem desculpa para não se cuidar. Vista de vez essa camisa!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Comente pelo Facebook