Main menu

AVIAÇÃO DE BUSCA E SALVAMENTO

DSC_0383©Johnson_BarrosVocê já deve ter acompanhado alguma ação de Busca e Salvamento conduzida pela Força Aérea Brasileira… Ou pelo menos já ouviu falar no assunto, não é mesmo? Se ainda não, fique tranquilo, esse post é para quem sabe muito, pouco ou nada sobre o sistema de Busca e Salvamento da FAB. No Dia da Aviação de Busca e Salvamento (26 de junho), você entende mais sobre a missão que marcou essa data, sobre os militares que atuam nesse campo e o que acontece quando aeronaves e embarcações sofrem algum acidente ou desaparecem. E, acredite, isso acontece com mais frequência do que se imagina… Dá só uma olhada! wink

 

 

i126269421858330No dia 26 de junho de 1967, foi localizada a aeronave C-47 Douglas da FAB, matrícula 2068, que caiu nas proximidades de Jubará (AM) com o pelotão de Infantaria da Aeronáutica que cumpriria missão na Serra do Cachimbo (PA). Dos vinte e cinco tripulantes a bordo, apenas cinco conseguiram sobreviver. (Veja aqui o depoimento de um dos sobreviventes!) Durante dez dias de busca, foram engajadas 32 aeronaves e contabilizadas mais de 1.100 horas de voo, até que um avião Albatroz, do Esquadrão Pelicano, conseguiu avistar o C-47 e resgatar os sobreviventes. Aqui do lado, você vê como ficou a aeronave! Desde então, a FAB consagrou essa data como o Dia da Aviação de Busca e Salvamento. :)

1128181652_f

Aeronave Albatroz

É bom você saber: a famosa sigla SAR vem de Search And Rescue, que define todas as organizações e operações e material voltados para a localização e o salvamento de pessoas em situação de risco. Em seu hino, “Da Busca, o alerta, a mensagem. Do Esquadrão, a doutrina constante. Destemor, elevar a missão. Num trabalhar de arrojada pujança. Jurando todos, salvar sempre salvar. Por uma vida a ordem é lutar”.

Mas o que queremos falar mesmo é do trabalho dos militares da FAB especializados e treinados para salvar vidas, que lutam diariamente na esperança de localizar e resgatar tripulantes e vítimas de acidentes aeronáuticos. Todas as pessoas que sobrevoam terras e mares no Brasil e nos 22 milhões de km² sob nossa responsabilidade podem ter a certeza da presença da Força Aérea Brasileira. ;)

Você sabe como a FAB é acionada para busca e salvamento de aeronaves e embarcações?

Sem título

Clique na imagem e veja o álbum do Flickr de Busca e Salvamento

Pra começar, vamos falar do Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico (SISSAR). Esse sistema tem a missão de localizar e socorrer ocupantes de aeronaves e embarcações em situações de perigo. Não só isso, várias atividades de caráter humanitário também são executadas, como transporte de enfermos, medicamentos, órgãos vitais… Sem falar, é claro, do apoio aos países vizinhos com transporte de médicos, medicamentos, água, alimentos e muito mais! :)

Esse sistema tem um órgão central, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), que normatiza, coordena e controla as ações de Busca e Salvamento. Com ele trabalham em estado de alerta – ou seja, 24h por dia, durante todo o ano, sem feriados e intervalos!!! – mais cinco órgãos regionais, conhecidos como SALVAERO (Atlântico, Brasília, Curitiba, Manaus e Recife), que estão distribuídos estrategicamente em diferentes pontos do território nacional, subordinados aos Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA) espalhados por todas as regiões do país – de Norte a Sul, de Leste a Oeste – executando atividades de controle do tráfego aéreo comercial e militar, vigilância do espaço aéreo e comando das ações de defesa aérea no Brasil. Logo abaixo, você visualiza melhor como são distribuídos os SALVAERO e os CINDACTA.

SALVAERO_MAPA-961x1024250px-Brazil_CINDACTAs

Os SALVAERO coordenam as atividades de busca e salvamento em toda a área de responsabilidade do Brasil, o que corresponde a vinte e dois milhões de km², grande parte sobre o Oceano Atlântico e a Amazônia. Não podemos nos esquecer dos órgãos que trabalham em conjunto: Marinha do Brasil, Exército Brasileiro, Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e outras organizações públicas, privadas e não governamentais. Integração é tudo nessas operações.

Quando acontece um acidente Aéreo…

A maioria das aeronaves tem um aparelho eletrônico chamado Baliza Eletrônica (ELT – Emergency Locator Trasmitter), que é acionado automaticamente pelo impacto da queda ou manualmente pelo piloto. E é esse aparelho que vai ajudar os órgãos de Busca e Salvamento (SAR) a encontrar a aeronave.

Você deve estar se perguntando… como funciona o ELT? Então, a baliza eletrônica transmite um sinal detectável por satélites e por aeronaves próximas ao sinal. Os satélites captam esses sinais e eles são transmitidos a estações terrestres (antenas localizadas em Brasília, Recife e Manaus). Logo após localizar a baliza, o Centro de Controle de Missão (CCM), em Brasília, envia esses dados ao SALVAERO da região para iniciar os procedimentos de busca. Ouça o som do ELT! ;)

ADESIVO_SAR_8 BLOG

Um alerta de uma baliza demora 2 minutos entre o seu acionamento e a detecção por uma estação rastreadora. Caso a baliza tenha GPS, a sua localização será enviada junto com a mensagem de alerta transmitida pela baliza. Caso não tenha, terá sua posição calculada utilizando os dados de detecção fornecidos por um ou mais satélites.

Mas se houver desaparecimento de aeronave?

Antes de uma aeronave decolar, os pilotos devem fazer um plano de voo, como esse aqui abaixo ;) O plano é um documento que contém informações do trajeto da aeronave, horários de decolagem e previsão de pouso, cálculo de consumo de combustível e concordância do plano com o controle de tráfego aéreo. Todas essas informações são fornecidas aos CINDACTA. Durante o trajeto, quando a comunicação do Centro com o piloto não é mais realizada, o CINDACTA informa ao SALVAERO que começará a fazer as buscas. Caso o SALVAERO, após averiguar todas as informações necessárias, não consiga confirmar a situação de segurança da aeronave, ele irá acionar os Esquadrões de Busca e Salvamento da FAB.

Plano de voo

ESQUADRÃO PELICANO

BOLACHA-PELICANOO Esquadrão Pelicano (2º/10º GAv) é a única Unidade da Força Aérea Brasileira dedicada exclusivamente a realizar missões de Busca e Salvamento (SARSearch and Rescue).

O Pelicano tem missões especializadas de Busca e Salvamento em âmbito nacional, mantendo permanentemente uma aeronave e um helicóptero em alerta para decolagem em poucos minutos, equipados para atender a qualquer situação de emergência, seja na terra ou no mar.

#FiqueSabendo Somente o 2º/10º já realizou mais de 1200 resgates. Veja aqui uma matéria que conta a história de um pecuarista salvo pelo Esquadrão. wink

Seu símbolo diz muito. O pelicano é uma ave aquática conhecida por ser um animal zeloso com seus filhotes, a ponto de dar a eles o seu próprio sangue na falta de alimento.

PARASAR

Já ouviu falar em PARA-SAR ou Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS)? O EAS, mais conhecido como PARA-SAR, é acionado para operações especiais de busca e salvamento em locais inóspitos e de difícil acesso. Além disso, treina militares de outros esquadrões da FAB para serem homens de resgate. É uma unidade de paraquedistas de elite da Força Aérea Brasileira. A gente já falou sobre eles aqui… Quer relembrar? Clique aqui

O Esquadrão fica na Base Aérea de Campo Grande (BACG), em Mato Grosso do Sul. Sabe por quê? É simples, primeiramente, por estar na região central do Brasil. Depois, pela facilidade de operar, caso necessário, juntamente com outros Esquadrões da Base: Pelicano (Busca e Salvamento) e Onça (Transporte).

Dá uma olhada aqui embaixo no sistema de Busca e Salvamento wink

Por hoje é só! Muitas informações sobre um conteúdo que atinge (em certa medida) a vida de todos brasileiros!! E você, o que achou? Deixe-nos sua opinião laughing Ou dúvida wink Até a próxima atualização laughing

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Comente pelo Facebook