Main menu

Quatro cidades, mais de 19.000 km rodados, mais de 10 horas de imagens capturadas e quatro novas histórias que você precisa conhecer. Bem-vindo à terceira temporada do Valores da FAB!! Depois de dois anos de sucesso, com mais de 100.000 espectadores, o programa volta para marcar o final de 2015, valorizando personagens com muita história para contar! Muita mesmo! Vale a pena conferir. O tema dessa edição você já viu no título desse post: chegou a hora dos resgatados! Conheça agora histórias reais que poderiam facilmente virar roteiros de cinema!surprised O primeiro episódio já saiu! E não se preocupe, avisaremos sempre que um novo vídeo for liberado. Aliás, para facilitar, esse post será atualizado semanalmente. Então, é só favoritar essa página no seu navegador e voltar sempre que puder! wink Por enquanto, fique com um pouco do que vem por aí:

 

Episódio 1 - A missão da minha vida!

Outra história que será apresentada em detalhes nos vídeos da série Valores da FAB desse ano será o salvamento de cinco pessoas que passaram dias na mata, em Roraima, também após a queda de uma aeronave civil, um Cessna prefixo PP-FFR. Esse resgate foi realizado pelo Esquadrão Harpia, em conjunto com o Esquadrão Pelicano, em outubro de 2014.

Na imagem à esquerda, o enfermeiro Anderson cuidando das duas mulheres logo após a queda da aeronave.

Entre essas cinco pessoas, estavam o piloto da aeronave, um enfermeiro do Estado de Roraima, além de uma mulher grávida de 8 meses, bem como outra mulher com seu filho que havia nascido há apenas 12 horas quando ocorreu o acidente. Eles sobreviveram na mata durante seis dias até serem resgatados pelo Esquadrão Harpia.

No vídeo, você vai acompanhar como foi realizado o resgate, por meio do depoimento do 1º Tenente Aviador Leopoldo Augusto de Almeida Luz, militar do Esquadrão Harpia, que foi um dos pilotos do resgate, além do depoimento do enfermeiro Anderson Teixeira, que sobreviveu com as demais pessoas durante seis dias na mata, após a queda do avião. Ele quase perdeu seu rim devido à falta de água e foi fundamental para que os demais sobreviventes aguentassem até serem resgatados. O vídeo será divulgado no dia 7/12. #fiqueligado  

Tenente Leopoldo durante as buscas à aeronave desaparecida.

Confira agora o vídeo completo da primeira história smile

-------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Episódio 2 - Repatriando brasileiros ao redor do mundo!

Além desses resgates, você também vai conhecer a história do Comissário Sidiclei Cardoso Vilhena, do Esquadrão Corsário. O militar participou de inúmeras missões ao redor do mundo, nas quais o Esquadrão resgatou milhares de brasileiros em países que passaram por conflitos, além de levar auxílio a outros países que enfrentaram desastres naturais. Você pode conferir os detalhes dessas missões, contados pelo próprio Sargento Vilhena, no dia 14/12.

Sargento Vilhena durante a missão para repatriar brasileiros que estavam no Líbano,

quando aquele país passava por conflitos.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Episódio 3 - Salvo duas vezes pelo mesmo herói!

Comandante Ruy Anselmo GarciaSobreviver à queda de um avião não é algo que acontece sempre. Sobreviver à queda de um avião em plena selva amazônica, já é outro nível de dificuldade. E sobreviver a duas quedas de avião na selva amazônica?!! Aí é uma raridade para poucos! Agora, adicione a esse contexto, sobreviver a duas quedas e ser resgatado pelo MESMO PILOTO, em um intervalo de 5 anos!!surprised Pois é... Foi exatamente isso o que aconteceu com o piloto civil Ruy Anselmo Garcia Cândido (esse da foto aí ao lado) e com o atual Subcomandante da Base Aérea de Boa Vista, Tenente-Coronel Aviador Jorge Luís de Oliveira Sampaio.

Olha só essa história: em 28 junho de 1999, às 7h, o piloto Ruy Anselmo decolou com a aeronave Cessna, prefixo PT-KST, de Altamira (PA) com destino à cidade de Gurupi (TO). Seu objetivo era chegar a Gurupi, onde iria fazer uma entrega de sementes de pupunha (palmeira muito conhecida e consumida na Amazônia). Até aí tudo bem. Quando decorriam 45 minutos de voo, ele notou que o avião apresentava um vazamento de óleo. O piloto não pensou duas vezes: teria que fazer um pouso forçado. Acontece que a região, distante 162 km da cidade de Altamira, é cercada de florestas. Ele teria que contar com muita sorte para sair vivo. 

“Olhei lá de cima e vi uma brecha, mas teria de passar entre várias árvores.

O avião poderia explodir, mas não pensei nisso, só em escapar”, explica Ruy.

 

 

A manobra deu certo. O avião bateu no chão, deslizando entre galhos de árvores, mas não pegou fogo. Imediatamente, ele abriu a porta e saltou. O Cabo José Ivaldo Pinho da Silva, então integrante do Esquadrão Falcão, que realizou o resgate na época do acidente, destacou que foi a experiência como piloto que salvou o Ruy da morte.

O helicóptero UH-1H FAB 8530, do Esquadrão Falcão, foi acionado assim que Ruy pediu socorro pelo rádio. Quando o avião se encontrava próximo da aldeia Bacajá, o piloto informou que estava com problema de vazamento de óleo e que iria realizar um pouso forçado na mata.

Eram 12h20min quando o helicóptero da FAB 8530 decolou da Base Aérea de Belém com destino a Altamira, onde chegou às 14h, reabasteceu e prosseguiu na busca. Por volta das 16h, o helicóptero de resgate do Esquadrão Falcão, com o então primeiro Tenente Aviador Sampaio (guarde esse nomewink) como um dos pilotos, estava sobre o local da queda, desembarcando a equipe de Resgate (SAR). Apesar de o local da queda ter sido identificado, o piloto não foi encontrado.

Teste 1 2 3

Foto da tripulação que participou do primeiro resgate. O então Tenente Sampaio é o segundo da direita para a esquerda.

Havia indícios na mata de que ele estava vivo, pois a equipe de resgate descobriu um abrigo improvisado.

“O nosso homem de resgate, quando chegou ao solo, informou via rádio que havia encontrado uma carta do piloto, na qual ele dizia que havia deixado o local para buscar água. Nesse momento, nós tivemos a certeza de que ele estava vivo”, afirma o Tenente-Coronel Sampaio.

 

As buscas permaneceram durante toda a noite, com os homens de resgate no solo. E, no dia seguinte, 29/06/1999, pela manhã, o piloto foi encontrado com vida, saudável e ileso. Ele foi resgatado de helicóptero, juntamente com a equipe que o estava procurando na mata. A equipe do Esquadrão Falcão que resgatou Ruy era formada, à época, pelos Tenentes Freixo (1º piloto) e Sampaio (2º piloto), Sargentos Oliveira, Affonso e Marcelo, além do Cabo Ivaldo.

Daí que a gente passa para o segundo salvamento! No dia 24/08/2004, por volta das 07h30min, nas imediações de Altamira/PA, novamente uma aeronave Cessna (prefixo PT-KGG) cai na floresta amazônica e 4 pessoas ficam desaparecidas. A Força Aérea Brasileira é acionada e, mais uma vez, o Esquadrão Falcão inicia as buscas. Cinco anos após o acidente com Ruy Anselmo, o agora Capitão Sampaio, participa dessa nova missão.

30 horas após o acidente, a aeronave UH-1H avista um sinal de fumaça no meio da floresta amazônica. Inicialmente, os integrantes da aeronave não conseguem avistar sobreviventes. Então, um homem de resgate desce pelo guincho para efetuar buscas no local. Já em terra, o resgateiro do Esquadrão Falcão ouviu gritos e, quase por um milagre, encontra os primeiros sobreviventes e realiza os resgates.

As primeiras sobreviventes encontradas, sem ferimentos graves, foram Julia da Silva Garcia e Neide Zanquet, familiares de Ruy Anselmo. Posteriormente, foram resgatados também o próprio Ruy, que estava com as duas pernas e um braço fraturados, e o seu sobrinho, Gleidson Silva Garcia, com um tornozelo fraturado.

Os quatro ficaram um dia e meio sem comida e água no meio da floresta amazônica. Nesse momento, Ruy Anselmo Garcia sobrevivia ao seu segundo acidente na floresta amazônica. E, novamente, era resgatado pelo Capitão Sampaio.

Depois de três anos se recuperando do grave acidente, o comandante Ruy voltou a voar, tornando-se um exemplo de coragem e determinação.

“Esses dois salvamentos foram muito importantes, especialmente para mim, pois no ano de 1999 eu tinha acabado de ‘sair operacional’ no Esquadrão Falcão e foi muito gratificante cumprir essa missão. Em 2004, eu já tinha uma experiência, pois estava no esquadrão há alguns anos. Então, nesse período, eu tive a grata satisfação de realizar esses dois resgates, salvando o mesmo piloto, o comandante Ruy Anselmo”, expõe o atual Subcomandante da Base Aérea de Boa Vista e piloto de resgate na época, o Tenente-Coronel Sampaio.

No vídeo, você vai conferir o depoimento completo sobre os dois resgates, contados pelo comandante Ruy e pelo Tenente-Coronel Sampaio, além de imagens inéditas! O vídeo será divulgado no dia 21/12. Aguarde! wink

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Episódio 4 - Um sonho de três gerações!

Por fim, o Suboficial Carlos Maurício Ribeiro de Souza, da Esquadrilha da Fumaça, vai contar os motivos que levaram o pai dele, depois ele e, agora, dois dos seus filhos, ou seja, três gerações de uma família, a trabalharem na Força Aérea Brasileira. O vídeo de sua história será veiculado no dia 28/12.

 

Suboficial Ribeiro com seus dois filhos, que são controladores de tráfego aéreo. O militar ingressou na FAB seguindo os passos do seu pai.

É isso aí! O Valores da FAB é uma das nossas maneiras de desejar um "Feliz Ano Novo" para vocês!smile Para acompanhar os quatro vídeos, acompanhe a divulgação deles no site da FAB: www.fab.mil.br. Em nosso canal no YouTube: www.youtube.com/portalfab ou por meio de nossas redes sociais.

Para esquentar, aproveite e confira também as duas primeiras edições da série Valores da FAB, veiculadas em 2013 e 2014Clique aqui para assistir as histórias dos nossos militares.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Comente pelo Facebook