Main menu

Você conhece as aeronaves da Força Aérea Brasileira? E os Esquadrões? Sabe onde estão localizados? Se você fosse o Comandante da Aeronáutica, como equiparia cada um deles nos próximos 25 anos para marcar os 100 anos da Força? Criaria mais algum? Mudaria seu posicionamento estratégico? Bem, isso tudo parece o “War” (o jogo mesmo tongue-out), mas é de fato bem real, e, para ser um bom Comandante, é preciso conhecer detalhes importantes das unidades da FAB, do Brasil e até do Mundo! Por ora, comecemos com os Esquadrões da Aviação de Caça, que são 12 ao todo! Você sabia que cada um deles tem um código? Uns até com significados bem curiosos. A gente conta agora esses e muitos outros detalhes. cool

 

Todo bom jogador ou fã de filmes de guerra sabe: localização é tudo! Então, pra começar, dá uma olhada nesse mapa e veja onde os Esquadrões de caça da FAB estão localizados e, como exercício, pensa no nível de estratégia exigido para organizar tudo isso:

 

 

Com os nomes dos Esquadrões e suas localizações em mente, partamos para as informações que, apostamos, muitos nem ouviram falar! Se você é daqueles que curte história ou aviação, é só seguir a leitura. Procure um lugar confortável. Sério! Tem textão vindo aí! Mas da boa laughing

 

JAMBOCK E PIF-PAF

Subordinado à Terceira Força Aérea (III FAE), o Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAvCA) está sediado no Rio de Janeiro (RJ), na Base Aérea de Santa Cruz, possuindo dois esquadrões: Jambock (1º/1º GAvCa) e Pif-Paf (2º/1º GAvCa).

Se você conhece pelo menos um pouco de aviação, sabe bem que esses são bem famosos. E não por acaso, já que marcaram a história do Brasil e do Mundo em uma atuação inesquecível durante a Segunda Guerra Mundial. Aliás, o Dia da Aviação de Caça relembra o 22 de abril de 1945, quando uma grande ofensiva do 1° Grupo de Aviação de Caça contra as forças alemãs contabilizou 44 missões de guerra em um único dia durante a Segunda Guerra Mundial.

É, de fato, uma história de heróis! Daquelas que a maioria vê apenas no cinema ou acha que somente os norte-americanos registram feitos assim. Pois é, essa é para conferir, conhecer e se orgulhar! Todos os detalhes aqui:

Para imagens históricas incalculáveis e pouco conhecidas, como essa aí abaixo, é só conferir o álbum especial que criamos no Flickr!

Sobre essa época, um último detalhe: quando alguém ingressa na Força Aérea Brasileira, algumas coisas são certas: vai vestir a farda azul, vai se acostumar com o som das turbinas e vai cantar "Carnaval em Veneza". Pode ser uma turma de aviadores, de soldados, de especialistas, tanto faz, pois tropa na FAB canta, em algum momento, "Carnaval em Veneza". Aí vc descobre porque, do nada, jogamos uma música aqui, neste post!

 

 

Jambock

Nome do código do 1º Grupo de Aviação de Caça, na Itália e utilizado até hoje aqui no Brasil! Essa palavra surgiu na Indonésia (!) para designar uma vara de madeira, chamada de Sambok. De lá, seguiu para a Malásia e em seguida para a África do Sul, ainda no século XIX, e passou a tradicionalmente ser feito com couro de rinoceronte. O sul-africanos que falavam a língua afrikaan adotaram a palavra, mas modificando-a para "Sjambok". Em outubro de 1944, quando o 350° Grupo de Caça da Força Aérea do Exército dos Estados Unidos recebeu o reforço do esquadrão brasileiro, criaram o código-rádio "Jambock", sendo americanizado, sem o "S" original e com um "C" antes do "K". Já na reserva, o Major-Brigadeiro Rui Moreira Lima escreveu que o uso do nome "Jambock" foi uma grande ironia dos fatos. "O chicote utilizado pelos brancos contra os escravos africanos, indonésios e malaios passou a ser usado contra os ‘arianos puros’ de Adolf Hitler, manejados por brasileiros livres que foram à Itália defender a liberdade e a democracia".

 

Ficha técnica

Data de criação: 18 de dezembro de 1943

Aeronave que opera: F5-EM

Bolacha

 

Pif-Paf

Se você curte jogos de cartas já deve ter ouvido falar em “buraco”, “canastra” e “pif-paf”, né? Pois bem, quando os veteranos da Itália assumiram o comando do 2º Grupo de Caça, surgiu a necessidade de um código de identificação da unidade. Como pif-paf possuía uma boa sonoridade no rádio e estava na boca de todos, logo foi adotado!


Ficha técnica

Data de criação: 17 de agosto de 1944

Aeronave que opera: F5-EM

Bolacha

Ah! Quando alguém ingressa na Força Aérea Brasileira, algumas coisas são certas: vai vestir a farda azul, vai se acostumar com o som das turbinas e vai cantar "Carnaval em Veneza". Pode ser uma turma de aviadores, de soldados, de especialistas, tanto faz: tropa na FAB canta, em algum momento, "Carnaval em Veneza". Mas você sabe que música é essa e sobre o que ela trata? Relembre aqui!

 

JAGUAR

O Esquadrão Jaguar é subordinado ao Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA), sediado na Base Aérea de Anápolis, em Goiás. Como os jaguares, os pilotos são treinados para serem ágeis, velozes e hábeis caçadores!

 

Ficha técnica

Data de criação: 09 de fevereiro de 1970

Aeronave que opera: F5-EM

Bolacha

ESCORPIÃO

O patrulhamento aéreo e a vigilância da região Amazônica e das fronteiras norte e oeste do Brasil constituem uma das principais missões deste Esquadrão. Localizado na Base Aérea de Boa Vista, em Roraima, tem o escorpião como símbolo pelo fato de ser frequentemente encontrado na região e também pela sua característica peculiar agressiva.

 

Ficha técnica

Data de criação: 28 de setembro de 1985

Aeronave que opera: A-29

Bolacha

PACAU

O nome desse Esquadrão está ligado a jogos de baralho. Mas o mais curioso aqui é a história do símbolo da unidade. O militar que o idealizou se inspirou no seu cachorro da raça buldogue, branco com manchas amarelas, apelidado de Tetéu (que significa o local em que o armamento era destravado para missões de bombardeio e tiro no estande). O Primeiro Esquadrão do Quarto Grupo de Aviação (1º/4º GAv), Esquadrão Pacau, teve origem na Base Aérea de Fortaleza (CE) em 1947. Em 2010, quando foi realocado em Manaus (AM), local em que opera hoje, até o Tetéu foi junto!

 

Ficha técnica

Data de criação: 24 de março de 1947

Aeronave que opera: F5-EM

Bolacha

 

 

POKER

Localizado na Base Aérea de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, o Primeiro Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (1º/10º GAv), Esquadrão Poker, opera aeronaves A-1 (AMX) e tem por missão primária o Reconhecimento Tático, executado por meio da análise de observações meteorológicas, imagens fotográficas, de sensores infravermelhos e observação visual. De seu brasão, surgiu o Leão rompante em goles armado e coroado de azul celeste, com a figura máxima, mística e de tradição, para representar a coragem e a garra com que o 1º/10º GAv encara suas missões operacionais, quaisquer que sejam ou venham a ser no futuro!

 

Ficha técnica

Data de criação: 24 de março de 1947

Aeronave que opera: A-1

Bolacha

PAMPA

Baseado em Canoas, Rio Grande do Sul, o Esquadrão Pampa, como é conhecido o 1º/14º Grupo de Aviação, é o responsável pela Defesa Aérea do Cone Sul do País. Pra isso mantém equipes e equipagens de alerta em condições de decolar de imediato, a fim de interceptar um determinado vetor. A bolacha representativa do Esquadrão mostra o "O Zé Gaúcho", inspirado no Zé Carioca (personagem do Walt Disney) deitado sobre uma bomba, vestindo um macacão de voo, tomando chimarrão (bebida característica da região) e carregando uma metralhadora "ponto cinquenta". Sobre uma nuvem o alerta do Esquadrão "Já te atendo tchê!" (linguagem tipicamente gaúcha).

 

Ficha técnica

Data de criação: 13 de dezembro de 1933

Aeronave que opera: F5-EM

Bolacha

ADELPHI

O código do Primeiro Esquadrão do Décimo Sexto Grupo de Aviação (1º/16º GAv), Esquadrão Adelphi, localizado na Base Aérea de Santa Cruz (RJ), teve sua origem de uma propaganda de cigarros, famosa nas principais rádios durante a Segunda Guerra Mundial, na Itália. Na época o anúncio dizia: "PÁ...PARAPÁ...ADELPHI!", sendo dita de maneira enérgica! Assim, tornou-se a saudação oficial dos pilotos. #Adelphi

 

Ficha técnica

Data de criação: 24 de março de 1947

Aeronave que opera: A-1

Bolacha

 

GRIFO

Subordinado à Terceira Força Aérea (III FAE), o 2º Esquadrão do 3º Grupo de Aviação (2º/3º GAv), Esquadrão Grifo, está sediado em Rondônia, na Base Aérea de Porto Velho. O nome vem a mitologia: o grifo é um ser com um robusto e imponente tronco de Leão, cabeça de cordeiro, orelha de cavalo e bico de águia, cada característica com sua utilidade: o cordeiro seria um animal sagrado; o cavalo o animal mais dócil e servil ao homem; a águia, altivez da rapina e a sua impiedade com os inimigos; e o Leão representando o poder máximo do reino animal.

 

Ficha técnica

Data de criação: 04 de julho de 1983

Aeronave que opera: A-29

Bolacha

 

CENTAURO

Localizado na Base Aérea de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, o Terceiro Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (3º/10º GAv), "Esquadrão Centauro", que também opera a aeronave A-1 (AMX), tem por missão a execução das tarefas operacionais de Interdição, Apoio Aéreo Aproximado e Superioridade Aérea, além de operações conjuntas ou combinadas com as Forças Navais e Terrestres. O Centauro é uma constelação do Hemisfério Sul, que mostra à imagem de um guerreiro, metade homem, metade cavalo, com sua lança em posição de ataque. A adoção do Centauro serviu para regionalizar a unidade, associando-a a imagem do valoroso gaúcho, muitas vezes cognominado o Centauro dos Pampas. As estrelas de maior grandeza da constelação - ALFA, BETA E GAMA - emprestaram seus nomes às três Esquadrilhas que compõem o Esquadrão. Na constelação, os guardas são as estrelas ALFA (o pé do Centauro) e BETA (o joelho) que, juntamente com o Cruzeiro do Sul, são as formações mais notáveis do nosso céu. GAMA significa a torre do arsenal.

 

Ficha técnica

Data de criação: 10 de novembro de 1978

Aeronave que opera: A-1

Bolacha

FLECHA

O Terceiro Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação (3º/3º GAv), o Esquadrão Flecha, está localizado na Base Aérea de Campo Grande (MS). O nome foi escolhido para representar Equipagens de Combate e Equipes de Apoio, permanentemente em alerta e prontas para o emprego, prioritariamente na região da fronteira oeste da Nação! #Flecha

 

Ficha técnica

Data de criação: 11 de fevereiro de 2004

Aeronave que opera: A-29

Bolacha

 

JOCKER

O Segundo Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação (2º/5º GAv), Esquadrão Joker, está localizado na Base Aérea de Natal (RN). Esse emblema, carregado de significado histórico, representa o Instrutor (Avestruz) transmitindo ao estagiário (Pinguim), a ordem, a disciplina, a perseverança e as tradições de um passado escrito com ferro, sangue e fogo nos céus da Itália, representando a missão da unidade, que é selecionar e formar Pilotos de Caça para a Força Aérea Brasileira.

 

Ficha técnica

Data de criação: 16 de dezembro de 1947

Aeronave que opera: A-29

Bolacha

 

Ufa! E aí, curtiu? Compartilhe conosco a sua estratégia! E lembre-se de levar em consideração que em breve teremos nada menos que o Gripen NG na frota! Então, como seria sua Força Aérea? Saiba mais sobre a Aviação de Caça na matéria multimídia do Portal FAB! Até o próximo post! cool

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Comente pelo Facebook