Main menu

Elas já foram assunto de vários filmes e seriados. Alguns, bastante famosos, como “Tropa de Elite” e “Até o limite da Honra”. Estão no imaginário de quase todos quando se fala em treinamento militar. Levam os militares a vivenciarem situações de guerra. São elas, as “temidas” sobrevivências e atividades de campanha.

Na Academia da Força Aérea, os futuros oficiais aviadores, intendentes e de infantaria são preparados continuamente para enfrentar situações extremas. Desde a queda de uma aeronave numa área de selva amazônica ou sobre o mar, passando por aprendizado de como liderar em situações de combate e até uma simulação de resgate em território inimigo em caso de conflito. 

Para concluir esses exercícios é preciso, além de um bocado de sorte, procedimentos e técnicas adequadas para cada situação. Aprender a manusear os equipamentos que são disponibilizados na aeronave, como a ração operacional e o kit de sobrevivência, técnicas de primeiros socorros, montagem de abrigos e obtenção de água e alimentos poderão fazer a diferença entre a vida e a morte.

E como você sabe se está pronto para enfrentar tudo isso? SENTINDO NA PELE! E é por isso que nós preparamos uma lista com as 10 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA CONCLUIR UM EXERCÍCIO DE SOBREVIVÊNCIA. Se liga aí:

  

 1) “PEDE PRA SAIR, 01!”

Esqueça seu nome. Durante o período de exercícios de campanha você será tratado por um número. Os filmes estão certos nesta parte. Mas existe uma justificativa: isto dá uma impessoalidade no tratamento entre instrutor e aluno, além disso, estabelece uma hierarquia funcional entre instrutor e aluno.


2) NO LIMITE

Você será colocado no seu limite físico e psicológico. Caminhar quilômetros com equipamentos pesados, horas ou dias sem uma refeição completa, banhos rápidos e (muita) lama o farão perceber quais são seus pontos fracos. Ao decorrer do tempo, eles deverão ser trabalhados e superados, se não, a coisa pode ficar feia.

Lama, muita lama!

3) VOCÊ DEVE CONHECER (BEM) COMO UTILIZAR DETERMINADOS EQUIPAMENTOS

A bússola vira sua melhor amiga quando se é necessário chegar a um ponto do terreno de maneira precisa, assim como na hora de sair para caçar na selva. Seu cantil deverá estar sempre por perto para evitar a desidratação. E retinida nunca é demais! Você a utilizará para todos os fins possíveis e imagináveis, sempre acompanhado por um bom nó ou amarração. E não deixe de levar o seu facão.

                        Prepare-se para utilizar todos os seus conhecimentos com cordas e retinidas. As amarrações vão literalmente salvar sua vida.

 4) SONO: APRENDA A CONTROLAR SEU MAIOR INIMIGO


Nas primeiras instruções, ainda no primeiro ano, é difícil lidar com o sono. Durante o dia são várias as oficinas, algumas podendo se estender até a madrugada. E durante a madrugada é preciso que alguém fique de sentinela, cuidando para que a fogueira não apague, nem que animais (ou inimigos) se aproximem.


5) RAÇÃO OPERACIONAL: ALIMENTO SEGURO É A GARANTIA DO EMPREGO OPERACIONAL DA TROPA

Sim, você passará por privações de comida. Mas também terá que aprender a utilizar a ração operacional e, principalmente, como diz o próprio nome, racioná-la. Para cada tipo de missão, você recebe uma ração específica. No exercício de sobrevivência no mar, por exemplo, as jujubas serão suas melhores amigas. Elas possuem alto índice calórico e glicêmico, e não exigem muito líquido na digestão. Elas compõe o kit laranja que é levado por todas as aeronaves da Força Aérea que sobrevoam áreas marítimas, para o caso de um acidente com sobreviventes.  Outras refeições incluem salpicão, strognoff e até feijoada.

 

 Se você quiser saber mais sobre o assunto, não deixe de assistir o FAB e Indústria de Defesa sobre a produção da ração:

6) APRENDA A LIDAR COM TEMPO


Na sobrevivência no mar o relógio vai se arrastar, mas você deverá fazer de tudo para se manter tranquilo e não perder o controle da situação. Uma boa dica? Cante e conte muitas piadas! Acredite, o tempo passa mais rápido e a fome vai desaparecendo... por isso dizem que rir é o melhor remédio! Ficar à deriva no mar por alguns dias pode deixar qualquer um maluco e para alguns será a parte mais difícil do exercício:

 

7) A SELVA É UM SHOPPING CENTER, E O FACÃO É SEU CARTÃO DE CRÉDITO


Nem tudo se resume a sobrevivência a um exercício de campanha. É necessário trabalho duro. Os cadetes têm que construir um tapiri (abrigo para o grupo todo), fogueira, moquém (fogão improvisado), mesas, armadilhas, latrina e até mesmo um porto! E de onde vêm tudo isso? Do Shopping da selva, claro! Mas lembre-se, evite perder energia desnecessária! Use o conhecimento a seu favor e não se desespere.

                        Olha o tapiri aí!

 

8) HORA DE AVALIAR SUAS HABILIDADES DE LIDERANÇA

Uma vez como oficial, você terá sob seu comando diversos outros militares. É preciso saber como motivá-los, o que desgasta a tropa, bem como mantê-los vivos e unidos. Por isso, os cadetes revezam a posição de “Xerife” para que todos saibam agir sob pressão.  

9) AS AMIZADES SÃO MUITO IMPORTANTES! 

Espírito de corpo. Você vai cansar de ouvir esse termo durante a formação militar. Isso significa espírito de união e bom convívio em grupo, e são essenciais para o sucesso do exercício. É necessário acreditar no seu amigo. Ele, muitas vezes, irá te ajudar e isso fará toda a diferença! 

10) “EU SABIA QUE VOCÊS VIRIAM”

Apesar de ser apenas um exercício, alguns dias na selva ou no mar vão fazer com que você acredite firmemente que aquilo tudo é real. Afinal, você vai ter que racionar comida, passar fome, frio e calor e ainda tomar decisões complicadas sob pressão e cansaço. Portanto, um dos momentos de maior felicidade é quando chega o resgate. As simulações não são apenas necessárias para ensinar técnicas, mas também nos ensinam a empatia, nos colocam na situação das pessoas pelas quais, um dia, levantaremos na madrugada para entrar numa aeronave em busca do desconhecido.


Quer saber mais? Veja essa matéria especial feita na Serra do Cachimbo, sul do Pará, com os cadetes da Academia da Força Aérea. Depois de todas estas situações descritas, você ganha um grande conhecimento: fica sabendo como seu corpo e mente respondem a situações extremas. E aí, curtiu? O que mais você gostaria de saber sobre sobrevivência na selva? Deixe seu comentário! ;)

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Comente pelo Facebook