Main menu

Neste post, o Força Aérea Blog inaugura um estilo já famoso em vários portais da atualidade e que será mais frequente por aqui: as listas. Entre “top 10”, “top 5”, “top 20”… e curiosidades, nossa intenção é que você conheça melhor nossa Força Aérea Brasileira, de maneira ainda mais prática e informativa. Por hoje, você fica com 5 curiosidades que talvez não conheça. Clássicos, como o Gládio Alado, ou desconhecidos, como a Fraternidade do Fole… Vem com a gente!

 

1 – Nossa Senhora de Loreto é a Padroeira dos Aviadores e da Aviação.

Para entender o motivo da escolha de Nossa Senhora de Loreto como padroeira, você tem que saber da história da Casa de Jesus:

A casa onde viveu a Sagrada Família em Nazaré era uma relíquia conservada pelos católicos na Terra Santa. Era uma casinha pequena, feita de pedras à maneira como os nazarenos construíam. Em 1291, a casa desapareceu inexplicavelmente, da noite para o dia, reaparecendo na cidade de Tersatz, na Dalmácia, perto do Mar Adriático, a milhares de quilômetros de Nazaré. Inteira.10_dezembro_Nossa_Senhora_Loreto_oraçao_aviador

Em 1924, outro acontecimento inexplicável: a Casa da Sagrada Família levanta voo rumo ao Mar Mediterrâneo e vai parar nos bosques de Loreto, na cidade de Recanati, na Itália, fenômeno que, até hoje, permanece sem explicação científica.

Por acreditarem que a casa foi transportada de Nazaré até Loreto pelos ares, sendo levada pelas mãos dos anjos, a Igreja Católica atribuiu a Nossa Senhora de Loreto a proteção aos aviadores, que transportam pessoas, materiais e progresso também pelos ares. Por isso, o Papa Beneddito XV, em seu pontificado, de 1914 a 1922, declarou a Virgem de Loreto “Padroeira da Aviação”. O Papa Paulo VI, em 1970, pediu para que se fizesse uma oração especial para a proteção dos aviadores. Desde então, a imagem de Nossa Senhora de Loreto se encontra em vários aeroportos do mundo.

Confira mais detalhes dessa história e a oração à Padroeira dos Aviadores clicando aqui.

2 – O Brasil é um dos 5 países do mundo que usam um “Cocar” em forma de estrela em suas aeronaves

A insígnia de nacionalidade das aeronaves militares, geralmente conhecida como “cocar”, é utilizada pelas diferentes aviações militares como distintivo nacional. A maioria destas insígnias é de formato redondo e baseia-se nos cocares ou laços nacionais dos países. No entanto, há algumas exceções, entre elas o Brasil, um dos 5 países que usam estrelas (os outros são Bielorrússia, Nepal, Rússia e Tajiquistão).120px-Brazilian_Navy_Roundel.svg

A origem da Cocar utilizada nas aeronaves da FAB remonta ao ano de 1919, período da antiga Aviação Militar. À época, esse símbolo era composto por três círculos concêntricos nas cores verde, amarelo e azul. Como na imagem aí do lado >>.

120px-Brazilian_Air_Force_WW2_roundel.svgEm 1934, a insígnia das aeronaves do Exército foi alterada para uma reprodução simplificada da estrela das armas nacionais (estrela gironada de verde e vermelho, subposta a um círculo azul, com uma coroa branca). As aeronaves da Marinha mantiveram a cocar tricolor.

Em 1941, houve a unificação das Aviações do Exército e da Marinha, dando origem à Força Aérea Brasileira. As aeronaves da FAB passaram a ostentar as estrelas usadas até então pela Aviação do Exército, modelo usado até hoje. Esse aqui, ó:

120px-Brazilian_Air_Force_roundel.svg

Pode não parecer, mas esse assunto é bem sério e, inclusive, regulamentado por meio dos artigos 17 e 20 da Convenção sobre Aviação Civil Internacional (Convenção de Chicago), concluída a 7 de dezembro de 1944 e firmada pelo Brasil em Washington, a 29 de maio de 1945.

3 – O Gládio Alado, símbolo maior da Força Aérea, tem suas origens no Exército :P

Força_Aérea_Brasileira_FAB_Marca_2B O Gládio Alado – esse da figura à esquerda – é o símbolo maior da Força Aérea Brasileira. Sua origem vem da criação da 5ª Arma do Exército (Aviação), em 1927. Nessa época, todos os alunos da Escola de Aviação Militar, que se dedicassem oficialmente à Aviação do Exército, passariam a usar um distintivo que tornaria fácil distinguir a especialidade de cada um. Assim, os Alunos da Escola de Aviação Militar usariam os uniformes adotados para a Escola Militar, tendo no lado esquerdo do peito duas asas abertas, com uma estrela no centro, tudo em metal branco. Já notou que descreve bem a foto aí embaixo? Essa é a mesma insígnia usada até hoje no uniforme. :D insignias-en-espadas-artigos-militares-21174-MLB20203994964_112014-Y

Foi só em 1931 que foi criado o distintivo que deveria ser usado na “Arma de Aviação”, constando de duas asas abertas, apoiadas na lâmina de um sabre, símbolo da força e alusão aos heróis que fizeram a República. Já bem parecido com o famoso Gládio Alado. Em 1951, o Símbolo da nossa Força Aérea Brasileira teve suas dimensões e desenhos modificados, apresentando a configuração em vigor até os dias de hoje. Seu novo desenho foi elaborado pelo Professor Alberto Lima, desenhista e heraldista do Exército Brasileiro, um dos autores do Emblema da antiga Escola de Aeronáutica, atual Academia da Força Aérea (AFA).

Resumindo: Trata-se de um símbolo que carrega uma história oriunda da 5ª Arma de Aviação do Exército e do próprio Regulamento de Uniformes do Exército Brasileira, que, com a fusão das Aviações Naval e Militar, trouxe como tradição essa simbologia que em 2015 está completando 95 anos de tradição.

4 – A Fraternidade do Fole

fole.01Você provavelmente já viu, em filmes norte-americanos ou livros de história, que a população se organizou para arrecadar fundos e contribuir com o governo e militares durante a II Guerra Mundial. O que a maioria das pessoas não sabe é que também existiram campanhas coletivas no Brasil. E a mais famosa se chamava “Fraternidade do Fole”.

O nome veio de “The Fellowship of the Bellows”, associação criada em 1940 por Mr. Tom W. Sloper, cidadão brasileiro de ascendência inglesa. A intenção era angariar fundos para adquirir aviões para a Royal Air Force, a RAF, então fortemente envolvida em combates aéreos no episódio conhecido como a Batalha da Inglaterra. Os aviões comprados com esses fundos eram batizados com nomes sugeridos pela Associação. As doações eram simbólicas e normalmente cobriam apenas parte do preço de aquisição dos aparelhos. Em muitas vezes, foram batizados aviões que já se encontravam em serviço. Posteriormente, a Associação foi aberta para sócios de todas as nacionalidades e se tornou mais conhecida pelo seu nome em português: A Fraternidade do Fole. Mr. Sloper se inspirou em uma associação de expatriados britânicos que existia em Buenos Aires e que já usava esse nome. Mais tarde, outra associação foi fundada no Uruguai.

5 – Batismo de fogo da FAB

Às 13h57 do dia 22 de maio de 1942, uma sexta-feira, um avião B-25B atacou o submarino Barbarigo, da marinha italiana. Com 73 metros de comprimento, velocidade de até 30 km/h, dois canhões de 100mm, quatro metralhadoras e oito tubos para lançamento de torpedos, o Barbarigo havia atacado o navio brasileiro “Comandante Lyra” quatro dias antes. Era a oitava embarcação do País atingida pelas forças do Eixo, mesmo antes da entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, ocorrida só em agosto daquele ano.

A guerra estava próxima. Cada voo da FAB, mesmo os de treinamento, passou a ser realizado com a máxima atenção. Qualquer submarino ou embarcação que não pudesse ser identificada seria considerado hostil. Bélgica, França, Holanda, Dinamarca, Noruega, Polônia e outros países da Europa, Ásia e África já estavam ocupados pelo nazi-fascismo. Crescia a importância estratégica do litoral brasileiro, fundamental para o esforço logístico aliado. (Outra história bem legal de conferir está no portal FAB: Há 70 anos, FAB afundava submarino nazista na costa do RJ!!Passa lá! ;) )b-25atac

Foi neste contexto que os Capitães-Aviadores Parreiras Horta e Pamplona, comandantes do B-25, ainda em processo de formação operacional, realizaram o ataque. Eles lançaram 10 bombas de 45kg sobre o alvo. A embarcação inimiga não afundou, mas aquele seria apenas o primeiro submarino atacado pela FAB na Segunda Guerra Mundial. Até o final do conflito no Atlântico Sul, 11 deles foram afundados em cerca de 15 mil missões de patrulha.

————–

Por hoje é só, mas a próxima lista já está nas mãos dos nossos pesquisadores ;) O que você achou da novidade? Tem alguma ideia de lista para incluirmos aqui? Deixe seu comentário. Até a próxima!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Comente pelo Facebook