Main menu

Fernanda é uma representante feminina no linha de revisão dos caças  A-1

A Sargento Fernanda é uma entre as 78 mil pessoas que atuam na Força Aérea Brasileira.

No dia seis de dezembro a Força Aérea Brasileira lançou seu primeiro #Storytelling. Mas afinal, o que é um storytelling? A palavra, de origem inglesa, é a junção de “story” + “telling”, que em livre tradução seria contação de histórias. Histórias contadas por meio dessa ferramenta permitem uma maior lembrança por parte de quem as escuta, além disso, conectam as pessoas emocionalmente, pois elas se identificam com o que é dito. Nossa pretensão com essa ferramenta é dialogar com nossos públicos interno e externo usando histórias de nossos militares para mostrar a vocês quais são os nossos valores. Você conhecerá militares com histórias verdadeiras e que com certeza te emocionarão.

Entre 78 mil pessoas do efetivo da #FAB, selecionamos seis histórias para integrarem a nossa série de seis vídeos. Nossa campanha de final de ano foi feita pensando em valorizar nosso efetivo e mostrar a todos como é bom fazer parte da Força Aérea. O primeiro vídeo estreou em 06 de dezembro (terça-feira) e o último será no dia 31 de dezembro.

Questão de escolha

O que será que fez os militares apresentados nas histórias integrarem a Força Aérea Brasileira? O que os fez escolher seguir a carreira militar ao invés de tantas outras existentes? As razões podem ser diversas, mas o fato é que cada um tem uma história única dentro da FAB e se orgulham de ajudar a cumprir nossa missão-síntese: “Manter a soberania no espaço aéreo nacional com vistas à defesa da pátria”.

Os nossos valores

Você vai perceber que no início de todos os storytellings aparecem alguns termos. Essas palavras são alguns dos nossos valores. Os valores de uma instituição são a base que norteia seus atos e de seus integrantes. Nossos militares devem agir de acordo com os eles para que a imagem da Força Aérea seja uma só. Veja na imagem a seguir os #ValoresdaFAB

VALORESDAFAB

 

Mas o que significam? Colocamos a explicação para alguns deles:

Honra: É traduzido pelo sentimento do dever, pelo pundonor militar e pelo decoro da classe, de forma a pautar a conduta moral e profissional de maneira irrepreensível.

Coragem: A coragem se traduz pela bravura em face do perigo, bem como pela franqueza, perseverança e firmeza de atitudes e de convicções na busca dos objetivos da Organização.

Profissionalismo: A Força Aérea é forte pelas virtudes de desprendimento, solidariedade e idealismo dos seus homens que fizeram o juramento de bem-servir com eficiência e profissionalismo, na paz e na guerra, sempre fiéis às suas consciências.

Liderança: Atributo que deve ser permanentemente cultivado pelos integrantes da Força Aérea, motivando seus subordinados, direta ou indiretamente, particularmente pelo exemplo, no rumo do cumprimento, com determinação da missão da Aeronáutica.

Patriotismo: É traduzido pelo compromisso permanente de fidelidade à Pátria, em quaisquer circunstâncias. O servir à Pátria é a essência do comportamento de todos os integrantes da Força Aérea Brasileira.

 

Produção

O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), com a ajuda de profissionais de unidades de todo o país, foi o órgão responsável por capturar algumas histórias que consideramos únicas dentro da Força Aérea. Gravamos histórias em vários estados, como Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Roraima durante cerca de três meses. Você conhecerá um pouco dessas histórias e poderá acompanhar até o final do mês todos os vídeos da campanha.

As Histórias

Após uma semana de chamadas em nossas mídias sociais e em nosso portal, lançamos no dia 06 de dezembro, última sexta-feira, o primeiro storytelling, conhecidos também como VALORES DA FAB.

CHAMADO_VALORES DA FAB 2

Fernanda: uma mulher na linha de revisão dos caças A-1

A Sargento Fernanda, Especialista em Equipamento de Voo, foi uma das primeiras mulheres a integrar a equipe de revisão dos caças A-1. Fernanda é parte do efetivo do Parque de Material Aeronáutica do Galeão (PAMA-GL) e contou para nós um pouco de seu amor pela Força Aérea Brasileira. Natural de Pirassununga, interior de São Paulo, ao concluir a Escola de Especialistas de Aeronáutica, mudou-se para o Rio de Janeiro.

Assista abaixo e descubra por que Fernanda ingressou na carreira militar.

Assista aqui ao primeiro storytelling lançado pela FAB.

Sargento Fernanda é do interior de Pirassununga

A Sargento Fernanda é do interior de Pirassununga

 

Suboficial Fernandes: Um exemplo de superação

A segunda história, lançada no dia 10 de dezembro, com certeza te emocionará. Subofical Fernandes, 48 anos, trabalha no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica. Por ser oriundo de uma família pobre, quando criança foi colocado em uma creche por seus pais. Já mais velho se encantou com a música por meio de uma banda que havia em sua escola. Certa vez, um Brigadeiro da EPCAR fez uma visita à instituição e incentivou os alunos a ingressarem na Força Aérea. Veja no segundo episódio da série, mais sobre a vida de Fernandes.

Conheça a história de vida do Suboficial Fernandes

1. SO FERNANDES

O Suboficial Fernandes é apaixonado por música

 

A dedicação do Sargento Martins

O 2º Sargento Especialista em Serviços Administrativos da Reserva Silvio Garcia Martins tem uma história muito especial na FAB. Quer saber porquê? Fique ligado!

Veja ao terceiro vídeo da série aqui.

5. 2S MARTINS

O Sargento Martins é militar da reserva

 

Gostou das histórias acima? Ainda tem mais. Conheça um pouco das que ainda estão por vir…

 

A família Rezende

O que será que levou cinco irmãos a escolherem seguir carreira na FAB? O primeiro a ingressar foi o 1º Sargento Músico Paulo César Ramos Rezende. Nesse vídeo, você conhecerá a motivação dos irmãos Rezende, além da paixão pela FAB do precursor da família. Assista ao vídeo aqui.

Paulo César Ramos Rezende é um dos representantes dos Irmãos Rezende.  PAULO CÉSAR RAMOS

Paulo César Ramos Rezende é um dos representantes dos Irmãos Rezende

 

Experiência de vida, dedicação e saudade a milhares de quilômetros da família

Sem título

Como será a experiência dos militares no Haiti, o país mais pobre das Américas? O Cabo Roque atuou na segurança do país e vai nos contar o que aprendeu por lá. Assista ao vídeo aqui.

Conheça a história do pequeno índio Magnaldo

MAGNALDO

Você vai se emocionar com a luta do pequeno indígena Magnaldo, da etnia Ingaricó. Ele deixou sua aldeia no norte do estado de Roraima, extremo norte do Brasil, para fazer um tratamento para a Leucemia em Brasília. E a FAB realizou uma missão para proporcionar o reencontro dele com sua mãe, que havia ficado na aldeia, distante milhares de quilômetros do menino. Veja aqui sua história.

 

Você conhece algum militar da FAB com alguma história peculiar que merece ser compartilhada? Conte para nós!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Comente pelo Facebook